Blog

Debate Rádio Melodia

No dia 20 de novembro de 2009 os fundadores da Igreja Cristã Contemporânea, pastores Marcos Gladstone (33) e Fabio Inácio (30), foram os protagonistas do primeiro enlace matrimonial entre pastores evangélicos do mesmo sexo da América Latina.

O Casamento entre os pastores polemizou a conservadora sociedade cristã. O assunto está sendo motivo de debate nos púlpitos das igrejas e até nas rádios evangélicas. No dia 27 de novembro de 2009 a Rádio Melodia (97,3 FM) organizou um debate em torno da questão homoafetiva convidando 5 pastores e o pastor Marcos Gladstone da Igreja Cristã Contemporânea.

A temática escolhida, mais do que simplesmente delicada ou polêmica, foi citada na oração inicial como sendo de grande profundidade. Os pastores reuniram-se em oração pedindo sabedoria para conduzir com equilíbrio e sobriedade o debate que se seguiria.

O início dos trabalhos marcaram de uma certa forma o tom que se seguiria até o fim, atravessado por uma agressividade disfarçada de crítica e sempre amparada no que alguns antropólogos já denominam “homofobia cordial”: a idéia de que se ama o homossexual mas se odeia a prática da homossexualidade, promovendo uma cisão esquizofrênica entre o sujeito e algo que a mais clássica das psicanálises considera estruturante na vida de qualquer indivíduo: sua orientação sexual.

Abominação, neurose, paranóia foram termos utilizados em um tom sereno, quando não frio e cirúrgico, por um dos debatedores, que pedia encarecidamente ao que chamou de “propagadores do homossexualismo” que não o vissem como um remédio de tarja preta, como se fosse preconceituoso ou homofóbico. Apenas receitou o clássico, “controle-se e tudo irá bem” referendando-se em textos bíblicos supostamente utilizados por homossexuais para distorcer a Bíblia ou até mesmo cometer uma “infâmia contra ela”.

O tom fundamentalmente histérico de um dos Pastores tradicionais mais esperados no debate se confirmou como se supunha. Usando um tom agressivo, beligerante, mas sempre disfarçado de uma certa malandragem carioquesca, o pastor que afirmava ter iniciado debates em rádios evangélicas no Brasil há 29 anos atrás, pautou seu discurso sem acréscimos nem subtrações: condenou, abominou, rejeitou, excluiu, mas advertiu que todas as Igrejas evangélicas do Brasil estavam abertas aos homossexuais desde que buscasse libertar-se desta iniqüidade.

Conceitos como “nova família”, “homoafetividade”, “união civil” ou “homoparentalidade” amplamente discutidos e analisados no meio acadêmico nacional e internacional pareciam bizarrices, estrangeirismos ou até mesmo distorsões puras e simples diante do que declararam os evangelistas canônicos e os mais diversos autores veterotestamentários.

Desnecessário dizer que um dos pastores, sem qualquer discordância da parte de seus colegas, fez questão de ressaltar a desimportância de teologia, atribuindo à autoria do próprio Adão (provavelmente para o espanto geral!) irrevogáveis “7 fundamentos basilares” contidos no Livro do Gênesis.

Um dos pastores, em sutil sinal derrogatório, afirmava que não havia qualquer texto ou tradução bíblica que pudesse livrar a Comunidade LGBT da condenação, dizendo ainda que mesmo não havendo na Bíblia o termo homossexual, a prática era ali descrita e associada a pecado de morte.

Entretanto uma voz distoava naquela arena que se assemelhava a um combate entre um Golias de 5 cabeças e um Davi que, defendeu-se como pode e o fez a contento. O Pastor Gladstone afirmava a inclusão possível dos homossexuais enquanto tais nos planos de Deus, trazendo a discussão para a contemporaneidade. Em tom sereno, quase gentil, Gladstone buscava atingir em cheio, não o golias pentacéfalo que buscava a cada segundo interrompê-lo, mas uma parcela do público que provavelmente assistia, maculado com tamanha rejeição (com a qual já estão há anos habituados, mas não satisfeitos!): homossexuais que ao ouvi-lo iam tomando ciência da existência de uma Igreja que busca conciliar a mensagem de amor, aceitação, dignidade e santidade que estruturam grande parte do texto bíblico, com a existência contemporânea das relações homoafetivas que em tudo diferem das fragmentárias práticas entre pessoas do mesmo sexo que a realidade contextual e histórica dos textos bíblicos registrou.

“Você homossexual, que se sentiu marginalizado e discriminado, com tantas palavras de acusação e agressão durante este programa de debates, saiba que já existe um lugar onde você pode adorar o Senhor Jesus exatamente como você é.”

O Pastor Gladstone, ao anunciar o site, bem como os endereços dos três templos da Igreja Cristã Contemporânea e seus respectivos horários de culto, fez na verdade o que poucos naquele debate esperavam: deslocou a agressividade da maioria para a receptividade da minoria. A condenação de quem afirma ter o título de propriedade da verdade, pela aceitação de quem compreende a verdade de forma dinâmica, sem casuísmos ou distorções.

Uma salva de palmas à iniciativa da Rádio Melodia 97,3 FM;
Um bravo a todos os 6 pastores que lá compareceram;
Mas indubitavelmente um Glória a Deus pela coragem daqueles que deixam o conforto dos sobrados para assumir publicamente os valores que defendem e as idéias nas quais acreditam. Os Pastores Marcos Gladstone e Fábio Inácio, pertecem certamente a este útlimo caso.

André Sena - membro da Igreja Cristã Contemporânea

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Comentários  

 
#11 Guest 05-12-2013 16:57
prezados irmãos como posso me escrever no debate contar algum que eu ainda tenho duvidas..se algumas pessoas que estão na igreja e tem pensamento em sexo não com as irmãs da igreja mais em ficar se ligando na parte intimas das mulheres ou se sentir desejos em filmes pornográfico mesmo que esta pessoa e batizada no espírito santo essa pessoa pode herdar o reino dos céu ou herda ao inferno...
 
 
#10 Guest 31-01-2010 23:15
Parbéns ao Ministério Contemporaneo pela coragem de enfrentr os homofóbicos que infelizmente ainda assolam muitas vidas neste País.

 
 
#9 Guest 11-12-2009 17:17
Sou evangélico de berço, ainda "in the closet" rsrs... Seria cômico, se não fosse trágico. Também assisti o debate na melodia. Confesso que não me surpreendeu a postura dos pastores ali presente, com exceção do Gladstone, que nunca tinha ouvido. Apesar de (do meu ponto de vista) ter havido distorções de interpretação bíblica - nitidamente partidaristas - de ambos os lados, o Gladstone merece um parabéns, no mínimo, pela coragem de enfrentar 5 "opositores" na própria casa do "adversário", digamos assim. Bem, penso que não me acostumaria com o modo de vida homossexual, por vários fatores, entre eles porque prezo e amo muito a minha família, por isso estou como estou. Até hoje nunca me relacionei com outros caras e nem por isso estou subindo pelas paredes... (não sei até quando rsrsr) Sinceramente, eu gostaria de continuar na comunidade onde nasci e cresci, ser aceito lá como sou, enfim, mas sei que isso é simplesmente impossível. A situação é tão séria, que a estratégia adotada por eles é fazer vista grossa, tapar o sol com a peneira. Tenho mais de 20 anos e pra que alguém de confiança me pudesse ouvir, no auge do meu desespero, foi necessário que eu me deslocasse a outro estado em busca de um ombro amigo. Já procurei ajuda de várias pessoas do meio evangélico, não pra receber uma lavagem cerebral, apenas pra conversar, para q pelo menos compreendessem que não escolhi ser assim... Procurei até a famigerada R Justino, deixando bem clara a minha intenção, a qual foi categórica ao dizer q só atendia quem quisesse mudar... como se isso fosse um passe de mágica. Bem, quero dizer que só quem tem a ferida sabe a dor que ela traz. Sei que como eu, centenas, senão milhares de jovens (até filhos de líderes, como frisou o Gladstone) passam por situação similar. Assim, parabenizo a iniciativa da ICC, que em vez de atacar os evangélicos tradicionais, procura resgatar e amparar as inúmeras vidas (igualmente ou até mais preciosas aos olhos de Deus) que estão vagando pelo mundo das drogas, da prostituição, da depressão, etc, pelo fato de terem sido, qual José do Egito, expulsos da casa paterna, não pelo pai, mas pelos próprios irmãos... Ainda estou tentando consolidar uma opinião, até porque me acho bem jovem. Continuo pedindo a direção de Deus, tentando buscá-lo em oração e entender Sua palavra... Acima de tudo, tenho profunda confiança Nele e em sua imensa misericórdia... A paz de Jesus a todos vocês, meus irmãos. Em Cristo, Marcelo.
 
 
#8 Guest 07-12-2009 00:09
Ae, como eu faço pra ouvir o debate? Eu perdi o programa no dia!!! Coloca o link ae pra gente ouvir!!!
 
 
#7 Guest 03-12-2009 20:32
Olá a todo povo de Deus. Hoje as igrejas evangélicas vivem por de tras de mascaras e falsos profetas, muitos estão em pulpitos, dizem ser santos, mas vivem mal com seu familiares , esposas, filhos,muitos são homosexuais mas por causa da sociedade se escondem atras de personagens e vivem um verdadeiro teatro, na igreja e uma coisa , em casa e outra e na rua e melhor nem comentar. Pastor Marcos fez o papel de dizer a esses que se acham tão santos e melhores, que não importa ser hetero ou homo, o que importa e que Deus ama a todos sem distinção e que nos podemos sim ser homosexuais, abençoasdos, prósperos, com familia felizes e viver uma vida em santidade com o senhor Jesus. A igreja comtemporanea tem me ajudado muito, a conhecer Deus e deixar de viver debaixo do julgo da mentira, pois mentira tem pernas curtas e é coisa de satanas e a igreja do senhor Jesus Cristo é feita de amor, misericordia e perdão!
 
 
#6 Guest 02-12-2009 10:26
Toda glória seja dada ao Senhor Deus, todo poderoso, pois é dele que vem toda sabedoria e amor transmistido através do meu pastor, Marcos Gladstone, que por plano de Deus é voz e canal do senhor Jesus aqui na terra! Enquanto todos acusavam, Jesus usava a voz do meu pastor para propagar o amor, a verdade e trazer o novo de Deus a esta geração.

Diego Maciel ( membro da Igreja Cristã contemporânea)
 
 
#5 Guest 02-12-2009 09:15
Esse é o meu PAIstor!
Que orgulho e privilégio que tenho de andar de cabeça erguida e pôder dizer que sou gay e sou cristão. Vivendo uma vida de santidade e busca ao Senhor!
Pessoal, vamos estar sempre vigilantes e em oração constante.
 
 
#4 Guest 01-12-2009 19:48
Glória a Deus pelos pastores Marcos e Fabio, bem como a todos irmáos e irmás que sáo o corpo da igreja contemporanea. É maravilhoso saber que paradigmas estáo sendo quebrados e velhos preconceitos superados através de voces, pela graca de DEUS. Quando DEUS quer é assim.
 
 
#3 Guest 01-12-2009 09:50
Entre os evangélicos quem sabe num porvir seremos aceitos, mas atualmente temos que apenas levar o evangelho inclusivo a todos, que é a nossa missão, por vezes me senti como um leproso por ser homossexual e não aceito por evangélicos, por aqueles que pregam o amor, falam do amor, dizem que vivem AMOR. Esses mesmos que seguiam Jesus, esses mesmos que falavam das maravilhas de Jesus, e entoavam seu nome entre as multidões, foram os mesmos que o levaram a cruz e gritaram CRUCIFICA-O, por isso quando resolvi agarrar e amar o evangelho inclusivo, eu sabia que seria como Jesus, não aceito entre aqueles que dizem e amam Jesus, assim somos nós contemporâneos, não somos aceitos. Eu sempre me lembro de Jesus que veio para os que o esperavam e os mesmo não o aceitaram, assim somos nós viemos para pregar o evangelho inclusivo e somos abominados pelos evangélicos que teriam que se juntar conosco e divulgar o Reino de Deus a todos. Mas obra é isso aí mesmo, é padecer por Jesus !!
 
 
#2 Guest 01-12-2009 09:40
Parabéns ao Pastor Marcos Gladstone.
Homossexuais podem ter uma vida digna diante de Deus.
Faltou no debate respeito e proporcionalida de: palavras como "bicha", "as meninas" e "sentar no colo de Morfeu" não caíram bem.
 

tv-contemporanea

Busca Dinâmica